10 de fev de 2017

0

Com tecnologia sustentável, projeto da Prefeitura de Cuité gera economia para o município

Com a tecnologia que será aplicada ao sistema de caixas d’água recém reformadas do matadouro público de Cuité, o município terá uma economia em torno de R$ 600 por mês referente à compra de botijões de gás para uso nos fogões do espaço de abate de animais. O gás gerado na decomposição dos dejetos descartados será capturado por biodigestores e encanado até o matadouro, substituindo o tradicional gás cozinha.

“Vimos que o matadouro se adéqua muito bem ao biodigestor, onde esse gás será utilizado nos fogões do próprio matadouro gerando um projeto sustentável e economia para o município”, declarou o secretário da Agricultura, Roseano Medeiros.

De acordo com o chefe da pasta, as fossas serão utilizadas como o sistema gerador do gás. “Nesta primeira etapa, foi instalada a encanação para a captação dos dejetos do matadouro para as fossas, através das quais será gerado o gás. O mesmo será armazenado em um sistema de caixas d’água, que servirá como uma câmara de gás, e em seguida será encanado para dentro do matadouro”, explicou Roseano Medeiros.

O secretário estima que o custo do projeto seja baixo e não ultrapasse os R$ 1,5 mil. Ele espera que o projeto seja concluído o mais breve possível para que o município possa usufruir dessa tecnologia totalmente sustentável e que gera economia ao erário público.

A reforma das fossas e a construção do biodigestor foram realizadas através de uma parceria com a Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), campus Cuité.


Ascom

Nenhum comentário:

Postar um comentário