11 de fev de 2017

0

Ao rebater críticas, Charles dispara: “Não posso encher a prefeitura de funcionários e não ter como pagar!”

Durante participação no programa Rádio Debate desta sexta-feira (10), o prefeito Charles Camaraense (PSL), da cidade de Cuité, Curimataú paraibano, rebateu as críticas que vem recebendo por enxugar a máquina pública e reduzir a quantidade de contratos da Prefeitura de Cuité. Na última quinta-feira (09), o prefeito foi duramente atacado nas redes sociais por aliados que almejam um emprego na Gestão Municipal.

“Em detrimento de desagradar A ou B, eu tenho que pensar na governabilidade. Eu não posso simplesmente chegar e encher uma prefeitura de funcionários e não ter como pagar. Depois, os próprios que eu dei oportunidade vão passar a me criticar. Tenho que ter responsabilidade perante a gestão”, esclareceu o chefe do Executivo Municipal.

Charles destacou a economia de 10% nos gastos com pessoal no primeiro mês de gestão e disse que esse é o ritmo do seu mandato. “O ritmo é esse, economia tem que ser feita, a gente tem que ter um equilíbrio financeiro diante do que foi deixado pela gestão anterior, diante de salários atrasados e aposentados sem receber. O que eu não quero é no futuro ser tachado de ter dado oportunidade as pessoas e não pagar os salários em dia. Eu não posso cometer uma irresponsabilidade desse tamanho”, explicou. 

O prefeito disse que compreende a carência de empregos e busca amenizar esse problema atraindo empresas para o município. “Estou agendando uma visita ao Estado do Ceará e farei uma visita ao deputado federal Antônio Balhmann que levou o maior número de empresas para o Estado do Ceará e ele disse que tem interesse de nos ajudar. Nesta segunda-feira eu estou indo a um encontro com o prefeito de Parelhas, no Rio Grande do Norte, que conseguiu levar para a sua cidade algumas facções que empregam diversas costureiras e ele disse que vai nos ajudar a trazer algumas facções aqui para Cuité”, pontuou.

Em 2016, de acordo com dados do Sagres, durante a gestão da ex-prefeita Euda Fabiana (PMDB), a Prefeitura de Cuité chegou a ter em sua folha de comissionados e contratados 360 servidores. No mesmo período, a Prefeitura de Picuí tinha apenas 90 servidores na mesma folha. Em reais, a Prefeitura de Cuité chegou a gastar em torno de R$ 450 mil a mais na folha de contratados do que a cidade vizinha, que tem o mesmo repasse federal e praticamente o mesmo porte.


POLITICANDOPB

Nenhum comentário:

Postar um comentário