30 de dez de 2016

0

Prefeito de Pedra Lavrada atribui falhas da gestão às crises que o Brasil enfrenta

Prefeito Roberto Cordeiro - Imagem: Anderson Eliziário
Em entrevista ao radialista Anderson Eliziário, o prefeito da cidade de Pedra Lavrada, Seridó paraibano, Roberto Cordeiro (PSB), atribuiu as falhas da sua gestão às crises pelas quais passa o Brasil. Roberto ainda disse que errou, mas que o seu intuito sempre foi acertar.

“A crise é, principalmente, em função da política macroeconômica do Governo Federal, ela vem de cima, é a principal crise. Mas, além dessa crise financeira, existe a crise política a nível nacional, existe em nível de estados e de municípios, são inúmeros fatores. A gestão tem uma parcela de culpa e eu assumo, nunca deixei de assumir isso. Eu não sou infalível e cometo erros, cometi alguns erros, mas sempre direcionei o meu trabalho no intuito de acertar”, revelou.

Roberto falou sobre as medidas que foram tomadas para reduzir as despesas da prefeitura com pessoal. Somada à folha da previdência, a folha de servidores de Pedra Lavrada passa de R$ 1 milhão. Para o prefeito, as medidas tomadas foram tardias.

“No princípio eu não acreditava que essa crise fosse perdurar por tanto tempo, por isso, algumas medidas que eu deveria ter tomado desde o princípio eu deixei pra tomar dois anos depois, quando vi que realmente a situação era muito complicada e se eu continuasse naquele rumo talvez tivesse entregando o município hoje com seis meses de salários atrasados. Graças a Deus, eu percebi isso e comecei tomar algumas medidas. Mas, admito, foram medidas tardias”, declarou o gestor.

Roberto também justificou o atraso nas medidas ao fator social. “A folha dessa prefeitura é muito alta, mas a gente vê o outro lado também. Os serviços contribuem aproximadamente com 75% do PIB do nosso município e isso é um fator social importante porque emprega muita gente aqui e muita renda dessas fica aqui, muito embora traga muito transtorno para a administração porque quando você gasta demais com pessoal você deixa de investir, deixa de fazer um calçamento, um posto médico, uma escola, mas a gente entende também que tem esse papel social”, ressaltou.

Contudo, o prefeito reconheceu que “isso no final traz muito prejuízo para a população, porque quando você deixa de fazer um esgoto, deixa de fazer um calçamento porque o seu dinheiro está completamente comprometido com a folha de pessoal, isso é prejuízo pra todos. É uma situação que ainda vai perdurar por muito tempo para se resolver”.

Roberto assumiu a prefeitura de Pedra Lavrada em 2013, após vencer o pleito de 2012. O socialista foi sucessor do seu aliado político e ex-prefeito Tota Guedes (DEM). No pleito deste ano, Roberto não quis disputar a reeleição e retribuiu o apoio de Tota o apoiando na disputa pelo Executivo Municipal. Tota perdeu a disputa para o vereador Jarbas Melo (PSD) que foi eleito prefeito do município.


POLITICANDOPB

Nenhum comentário:

Postar um comentário